Mergulhe na seção 'Estrangeiros' da Netflix

28.4.17

Meu marido é um cara engraçado. E vivo falando isso pra ele...

Duca curte muito culturas diferentes e a diversidade do mundo em geral e sei disso desde que o conheci. Mas o que eu não sabia é que ele tem "fases" na vida em que fica muito aficionado por uma determinada cultura, por exemplo. E eu acho isso engraçado...

Ultimamente ele tá na fase Índia. Lê tudo sobre a Índia, comportamento dos indianos, cultura, regiões da Índia, ouve podcasts, vê vídeos sobre o lugar, reportagens, etc. E depois da gente ouvir um podcast sobre cinema indiano (Você Precisa Conhecer o Cinema Indiano), Duca mergulhou na seção "estrangeiros" da Netflix procurando por filmes do país. Eu embarco na dele e ouço, assisto, vejo. Às vezes, confesso, dá uma preguicinha porque ele só quer assistir filmes indianos e mais nada! Mas quase sempre vou na dele.

Nessa, encontramos muita coisa legal e muita coisa que não agradou a gente. Não vou dizer que esses filmes que não agradaram são ruins porque para os indianos, talvez, filmes que não gostamos são sucesso pra eles e é um estilo que eles gostam. Tenho aprendido com isso tudo a respeitar diferenças. Há muita coisa que é estranha pra gente porque é diferente, não faz parte da nossa cultura e não estamos acostumados com aquilo, mas isso não nos dá o direito de achar que certos comportamentos da outra cultura são "bons" ou "ruins". Quem sou eu pra julgar de bom ou não algo que não faz parte do meu estilo de vida, né?!

Entre os filmes indianos que a gente gostou bastante estão os dois que decidi vir aqui indicar. E aproveitando o post sobre filmes estrangeiros, trouxe também uma dica Mexicana. Isso mesmo, um filme mexicano muito legal que foi indicando por um casal de amigos que sabem desse gosto do Duca pelas culturas. :)

1- MY NAME IS KHAN

É um filme de 2010 e uma parceria entre Bollywood (mais famosa indústria de cinema indiana) e Hollywood. Sendo assim, tem atores americanos também. Conta a história de Rizwa Khan, um menino muçulmano que tem Síndrome de Asperger, uma espécie de autismo. Ele cresce lidando com a síndrome e depois de adulto decide morar em São Francisco (EUA). Lá, se apaixona por uma mulher que tem um filho. Eles enfrentam juntos a dificuldade de Khan em lidar com algumas situações e são bem felizes até que acontece o atentado de 11 de Setembro. Khan começa a sofrer preconceito por ser muçulmano e chega a ser preso por engano por suspeita de terrorismo.

Sabe aqueles filmes que você dá uma choradinha? Te faz pensar sobre preconceitos, injustiças e etc? Então...


2- OTTAAL

Ou "A Armadilha", em português. Esse filme é uma adaptação de um texto de Anton Chekov que conta a história de um menino de uns 8 anos que fica órfão de pai e mãe e vai viver com o avô, que já está velho, é bem pobre e criador de patos.

A história começa com o menino escrevendo uma carta para o avô e a gente fica meio sem entender esse começo, mas ele faz todo o sentido no final, quando cai aquela lágrimazinha... O filme todo faz você ter uma grande afeição pelo menino, por ser muito inteligente e se adaptar bem à vida com o avô, apesar da pobreza e da saudade dos pais. O lugar que eles vivem é uma aldeia com pessoas legais, mais ou menos com o mesmo estilo de vida. Tem o carteiro sem cartas, o amigo rico, a escola, o cão sem nome e o avô, muito amoroso e humilde.

É um filme bem parado, mas, sério, não desista! Assista até o fim porque vale-muito-a-pena. Te juro!!!

Se tem uma coisa que mexe com meu coração é histórias com crianças e esse filme, olha... Nem vou falar mais nada pra não acabar soltando spoiler! Mas eu fiquei um tempão pensando no filme, na criança, no mundo, na vida.

Foi vencedor do Urso de Cristal em Berlim, em 2016.



3- A ESTREITA FAIXA AMARELA

O título original é "La Delgada Línea Amarilla". É um filme mexicano que conta a história de Toño, um senhor de meia idade que trabalha de vigia numa espécie de ferro velho, lugar que ele imagina que vai ficar e envelhecer ali. Só que ele é demitido e precisa encontrar outro lugar para viver e se sustentar. Toño é bastante "rabugento", tem um filho que não vê há muito tempo e traz alguns traumas do passado, onde foi um engenheiro bastante respeitado na construção de estradas. Nessa de procurar outro trabalho, ele é contratado pelo antigo chefe para liderar a pintura da faixa amarela central de mais de 200km de uma estrada recém-reformada que liga duas cidade do México. Ele lidera uma equipe de quatro homens completamente diferentes um do outro, inclusive na idade, que vão passar 15 dias juntos, trabalhando debaixo de sol, enfrentando frio e compartilhando suas histórias e vida.

Aos poucos a gente vai conhecendo a história de cada personagem e o que fez com que se tornassem quem são. Um filme que faz você refletir sobre as pessoas e perceber que a história de vida delas é essencial para entender quem cada um é. Além disso, o trabalho parece completamente ingrato, um trabalho braçal pesado e longo, só que tem uma importância muito grande, inclusive para preservar vidas.

Você vai se apegando aos personagens e no final é inevitável aquela vontade de chorar...



Esses são três filmes que eu assisti e fiquei pensando muito na vida e no mundo. Refletindo sobre tudo, sabe? Nos três eu chorei.

Se você tiver alguma sugestão de filme diferente também, comenta aí pra mim! Como disse no começo do post, Duca ama culturas - e eu também! Então assistir coisas de mundos distintos do nosso, conhecer culturas e realidades diferentes sempre agrega muito.

AHHH!!!! Nãããããooo assista, em hipótese alguma, Makki (filme indiano). Sério, não caia na tentação.
...Depois não diga que eu não te avisei!!!! -.-

você também pode gostar:

0 comentários

fala comigo! :)