Você é linda independente do seu tipo físico!

24.2.17

Não tem muito tempo que eu comecei a refletir sobre o "padrão de beleza" que a gente tanto vê pela mídia afora e a me desconstruir no assunto beleza X tipo físico.

A gente cresce ouvindo que "aquela gordinha tem um rosto lindo" e que "olha o corpo daquela modelo que maravilhoso"! Não é culpa nossa crescer acreditando que magreza é sinônimo de beleza. Que você só estará plena se for magrela, com cinturinha fina, peitos consideráveis e bumbum notável. Mas cabe muito bem à nós começar a refletir sobre esse padrão, de onde ele veio e o que ele causa nas mulheres.

A bulimia, por exemplo, sempre mexeu muito comigo. Já li bastante coisa na internet sobre bulimia e anorexia e fico mal em ver como isso é mais comum do que eu imaginava. E como é devastador!

Nunca sofri em relação ao meu corpo, era gordinha na infância, mas emagreci na adolescência e mantive mais ou menos magra, sem tendência a engordar. Mas teve uma época em que ganhei alguns quilinhos além do que eu estava acostuma. Comecei a me sentir gorda dentro das minhas roupas apertadas. Não sabia como mudar aquilo e comecei a trilhar um caminho muito perigoso. Na época, meu intestino era preguiçoso e até então nunca sofri com isso, mas comecei a achar que aquilo podia estar "piorando" a situação e me ajudando a engordar.

Havia visto em algum lugar que fulana tomava laxante todos os dias pra emagrecer. Pronto! Vi ali um caminho fácil, rápido e super acessível. Nunca passou pela minha cabeça forçar vômito ou deixar de comer as coisas. Mas o laxante me pareceu perfeito. Sem sofrimento, sem forçar vômito e continuar comendo como eu estava. Que a propósito, não era nada compulsivo, era uma alimentação normal.

Comecei, então, a tomar laxante todos os dias. Se eu ficava um dia sem tomar já achava que meu plano de perder quilos iria falhar. Uns dois meses depois, quando me vi mergulhada nessa paranoia, respirei fundo, refleti sobre o que eu estava fazendo o sobre os males que aquilo poderia provocar no meu organismo e, sozinha, consegui parar.

Eu consegui. Eu, que nunca tive síndromes, nunca sofri de ansiedade, nem depressão... De alguma forma desencanei e segui a vida. Mas não é todo mundo que consegue isso. Muita, muita menina não tem força, não tem estrutura, não tem psicológico pra sair fora desse caminho que ela mesma trilhou num momento de fragilidade.

Hoje sei que tem muita coisa acontecendo dentro da cabeça da "gordinha" e da "magrela". Tem muita síndrome, muito problema psicológico que a gente nem sonha, muita doença hormonal que dificulta o ganho ou a perda de peso e que consequentemente acaba mexendo com o psicológico e por aí vai... E com tudo isso que não sabemos, quanto mais a gente repete pra miga que ela precisa "dar uma emagrecida" ou "uma engordadinha", mais a gente tá piorando os problemas que ela trás dentro de si. Mais estamos empurrando pra dentro do buraco negro que ela tanto tenta sair. Mais estamos mexendo com a autoestima; mais estamos fixando um padrão que não tem que existir.

Eu não elogio mais dizendo "nossa, você emagreceu, como está linda!" porque hoje sei que por trás desse emagrecimento pode ter muito problema, ou não. Mas na dúvida, prefiro dizer "como você está/é linda!". Também não gosto de ouvir alguém comentando "opa, você deu uma engordadinha, né?!"... A gente sinceramente não precisa disso, não precisa falar essas coisas.

O que a gente precisa mesmo é lutar contra o padrão de beleza. Repetir sempre que nosso corpo é lindo do jeito que ele é; elogiar as amigas - e também desconhecidas na rua - dizendo sinceramente como elas são lindas e ponto!

Não vou dizer aqui que eu estou plenamente feliz, satisfeita e segura com meu corpo, porque vez ou outra me olho no espelho e "nossa, tem um pneuzinho aqui que não tinha antes". Mas uma coisa eu tento colocar na minha cabeça: não é esse pneuzinho que define tudo o que eu sou. Não é essa gordurinha a mais no braço, não é nada disso que insistem em dizer que tá fora do padrão que me resume. Eu sou muito mais do que isso! Dizer isso e ser assim pode parecer fácil pra mim, pode parecer fácil pra você, mas tem muita amiga por aí se sentindo mal, com a autoestima baixíssima e sem conseguir mudar a visão sobre si. E a gente pode ajuda-las...

Sabe, eu não vou passar fome pra emagrecer. Não vou chegar aos limites do meu organismo pra atingir um padrão de beleza que me impõem. Não vou recusar aquele docinho que eu tanto gosto e que faz meu dia ficar mais feliz porque aquilo tem calorias demais. Eu vou ser equilibrada. Cuidar da minha saúde e consequentemente do meu corpo. Estar saudável e bem e feliz.

Você pode gostar muito de fazer exercícios físicos puxadíssimos para manter o corpo de um jeito que você curte. Mas não faça isso se isso não te faz feliz. Não entre em dietas malucas sem conhecer seu organismo, sem saber do que ele precisa. Não recuse aquele docinho que você ama e passe o resto do dia triste. Seja você e tenha equilíbrio.

Pra finalizar, aprendi que a beleza não está no tipo físico. Que a gordinha é linda não só de rosto, mas num todo! Que a gente não precisa "emagrecer pra ser linda". Que somos lindas como somos, saudáveis e felizes!

O vídeo abaixo me motivou a fazer esse post. Eu quero ver mulheres empoderadas! Mulheres felizes, seguras e satisfeitas como são. Eu quero ver os padrões se quebrando e a gente esfregando na cara do mundo que a beleza está na pluralidade, está em sermos como nascemos pra ser.

você também pode gostar:

0 comentários

fala comigo! :)