Me perguntaram e eu respondi!

16.1.17


Dia desses vi no Temporada das Flores, blog da Malena (segundo post que ela fez e me inspirou a fazer também), um post dela tendo um dedo de prosa com a galera do Instagram e achei bem legal!

De vez em quando recebo pelas redes sociais perguntas sobre minha vida ou a vida em geral, daí decidi fazer um post assim também. Pra começar, postei no tuiter e no stories, do instagram, um recadinho pedindo para quem me segue que me fizesse uma pergunta sobre qualquer coisa que eu iria reunir as perguntinhas e respondê-las por aqui.

Recebi algumas e selecionei. Então, lá vai:

1. Como foi se adaptar em uma nova cidade depois de casar? — @eumarisil e @prica_bf
Eu sempre fui muito "adaptável". Gosto de mudanças, de novidades e sempre gostei muito da cidade de São Paulo, então não foi difícil. Sem contar que eu já conhecia algumas pessoas daqui de SP, conhecia gente da igreja (IBAB) e tenho família em Santo André, uma cidade pertinho. Logo, não me senti sozinha, não tive problema nenhum. No começo eu tinha um pouquinho de medo de andar sozinha de carro, mas esse medo passou e hoje eu já me sinto bem confiante em andar e ficar sozinha, quando o Duca viaja, por exemplo. 

2. Como é ser casada com um lutador que tbm é baixista numa banda de rock cristão? — @edjuniorquinto
Nunca na minha vida imaginei estar casada com um músico. E não podia ser melhor! Duca é um cara incrível, eu o admiro em absolutamente tudo! Ele é artista por inteiro, gosto de vê-lo tocar, compor, desenhar, enfim... Quanto à luta, acho muito legal artes marciais, sempre admirei quem pratica. 

3. Você tem 1 história de amor (linda!)e teve q mudar de cidade e e etc. ..qual (na sua opinião) é o maior desafio do casamento? — @garotaadefe
Olha, eu sempre ouvi amigos e amigas dizendo que os primeiros anos de casamento são difíceis, o tempo de conhecer um ao outro e se adaptar ao outro. Mas olha, meus primeiros dois anos de casada foram incríveis!! Eu não tive problemas, não tive dificuldades, nada disso. Foi/está sendo um tempo maravilhoso em que ficamos grudadinhos. As manias e o jeito dele não me incomodam em nada e ele é muito sossegado também quanto a mim. Ele é compreensível e flexível, o que facilita muito! Então eu ainda não sei dizer com propriedade qual o maior desafio do casamento, mas pela minha pouca percepção nesses dois anos de casada, acho que é manter o carinho, a atenção e o romantismo um pelo outro. Vejo muuuuitos casais que começam a se tratar de forma indiferente, sem muito carinho, não ficam mais juntinhos com o passar dos anos. Acho que o desafio seria esse, não perder essa conexão inicial, esse carinho.

4. Como você tomou a decisão de fazer um blog? da onde vem a inspiração p tantas fotos lindas no Instagram? :) — @lucianalameira
Já tive blog há muitos anos. Sempre gostei muito de escrever e de redes sociais, estar conectada com pessoas. Já tive um blog só meu, já tive um blog com um amigo... Mas todos foram ficando pra trás e eu senti necessidade de começar um novo. Foi aí que tirei um dia e me empenhei nisso. 
Obrigada pelo elogio! Eu adoro fotografia e sempre gostei de acompanhar bons fotógrafos. Sigo vários perfis de pessoas com muito bom gosto para fotografia e composição do feed do Instagram. Isso me inspira muito!

5. Como é lidar com as críticas que criam sobre o ministério do Duca, no qual tu como esposa, tbm faz parte? — @Joosuf_
Sinceramente é bem difícil, pra mim, lidar com as críticas. Acho que é mais difícil pra mim do que pro próprio Duca. Talvez ele já tenha aprendido a lidar e releva (o que precisa ser relevado). Eu fico chateada, eu me irrito. É difícil porque eu os acompanho de perto, vejo a seriedade dos caras com o trabalho e ministério deles, vejo as dificuldades e as lutas. Daí vem uma pessoa qualquer, que não sabe de absolutamente nada, que supõe coisas e cria verdades baseadas no que acha que vê, falando coisas absurdas, criticando com palavras duras... isso me irrita. Dá vontade de chegar na pessoa e perguntar de onde ela tira tanta propriedade pra falar da vida de pessoas que sequer conhece de fato. 
As pessoas criam muitas coisas na cabeça delas e comentam com palavras que jamais teriam coragem de falar cara a cara. E não pensam que essas palavras podem ferir, podem desmotivar, podem chatear. Não é só porque as pessoas são públicas que elas estão acostumadas a tomar pedrada gratuita ou que elas têm que tomar essas pedradas! Pessoas públicas têm suas vidas particulares como qualquer outra pessoa. Elas têm dificuldades, lutas e problemas também! E na maioria das vezes a vida de algumas "pessoas públicas" é muito mais difícil do que quem acompanha imagina.

6. Qual a maior facilidade e a maior dificuldade em um relacionamento? — @sinestesiass
Fiquei um tempão pensando na maior facilidade em um relacionamento, pedi ajuda até pro Duca, mas não consegui pensar em nada. Não sei explicar... É fácil amar quem você ama. hahaha... Não sei dizer! Mas a maior dificuldade acho que é você lidar com os traumas, machucados e bagagens da pessoa com a qual você está se relacionando. Dificuldade é você manter o romantismo, o carinho, mesmo depois que passa aquele fogo arrebatador da paixão e fica o amor. Dificuldade é você alimentar o amor diariamente, convivendo com as falhas, com os erros e os defeitos da pessoa que você ama. Dificuldade é entender algumas manias. Mas amores bem cuidados superam todas essas e outras dificuldades!

Recebi uma pergunta anônima e umas da @JanaiCoelho via Curious Cat também. Algumas dela já respondi lá mesmo, mas escolhi uma pra responder aqui:

7. Então, acho que tu já deve ter falado sobre isso, mas eu não vi e rola uma curiosidade: como tu conheceu o Duca? (Pq ele disse no post lá no Instagram que tu não conhecia muito o trabalho dele e tal, enfim) — @JanaiCoelho
Eu ainda quero fazer um post com um textinho legal sobre isso, mas vou resumir aqui: eu trabalhava na área de comunicação da minha igreja em Campo Grande/MS. Uma vez eles foram fazer um show lá na igreja mesmo (acho que em 2010) e eu acompanhei a então estagiária numa entrevista que ela fez com eles. Nessa época eu, obviamente, já tinha ouvido falar do Oficina G3, mas não conhecia nada da banda, tanto que li releases no site deles e pela internet afora pra não dar bola fora quando os encontrasse. Hahahah... 
Daí de todos eles, eu já tinha ouvido falar do Duca, porque rolava pela cidade a conversa de que ele e outros do G3 já quiseram morar em Campo Grande (e é verdade!) e também porque meu então namorado tinha contato com o Duca. Bem, acompanhei a entrevista e ok, todos eles eram como qualquer outra banda. Eu sabia da vida deles o que eu sabia da vida, por exemplo, dos caras do Resgate: nada. Hahahah... Depois disso, acabou a entrevista, aconteceu o show e fim. Dois anos depois, fui à São Paulo, de férias, e fiquei na casa de um amigão meu. Até então não conhecia a cidade de São Paulo (apesar de já ter morado em Santo André) e andei pela cidade sozinha, andei de metrô, conheci museus, pontos turísticos... Aproveitei esse tempo também pra conhecer pessoalmente pessoas que eu só conhecia pela internet (tuiter). Aí fui num encontro, o Estilingue, do Léo Toddy, e conheci pessoas, entre elas o casal Kalinka e Seloti (do Tudo Vira Foto, que fizeram as fotos do nosso casamento, depois). Ok, depois voltei pra Campo Grande e na outra metade das minhas férias, lá pelo mês de setembro, fui de novo a SP e combinei de me encontrar com o casal Seloti. Combinamos e quando fui ao encontro deles, dessa vez fui com meu amigo, o Duca tava lá, entre outras pessoas. Depois desse lugar, fomos pra outro e outro e conversamos bastante (todos nós). Até então, pra mim, Duca era casado - e bem casado. Depois disso nos adicionamos no facebook, toda a galerinha que tava nesse encontro. Aí uns três meses depois, Duca respondeu um tuíte meu, em que eu escrevi sobre "ciclos de vida". E disse que aquilo que eu escrevi tinha tudo a ver com a vida dele. Do tuiter, nos falamos pelo bate papo do facebook e eu percebi que ele estava passando o fim do ano (a virada do ano) em outra cidade, sozinho, só com um amigo. Aí ele me contou mais ou menos a história da vida dele e o momento em que ele estava - de separação. A partir disso, todos os dias conversávamos muuuito, muito mesmo, pelo facebook, depois whatsapp e assim foi. Tínhamos (temos) muitos assuntos em comum, escrevíamos muito, ele escrevia versos, eu completava, enfim... Quando lançou o filme As Aventuras de Pi, eu perguntei se podia ligar pra ele pra falar do filme e ficamos hooooras nos falando. A partir daí, as coisas foram tomando um rumo que você já sabe! Hahahah... 

8. Sou cristã, nasci em um lar cristão e conheço os princípios bíblicos. Porém, há uns dois meses fiz sexo antes do casamento com meu namorado. Vou pro inferno? Deus perdoa? Ainda "há jeito pra mim"? — Anônimo
Olha, já que você está perguntando isso pra mim, significa que você considera a minha opinião. E eu vou, então, te dar a MINHA OPINIÃO, baseada no que já vi, ouvi e vivi. Sinceramente você pode ficar bem tranquila porque não, não "vai pro inferno" por causa disso. E sim, Deus te perdoa, aliás, Ele já te perdoou. E sim, "há jeito" pra você!!! Você é uma princesa pra Deus. Ele te ama incondicionalmente, tanto que deu o filho Dele pra morrer por você. Nosso Paizinho é perdoador e Ele sempre vai perdoar as coisas que fizermos e depois ficarmos nos sentindo mal. Basta a gente se achegar à Ele, pedir perdão, colocar diante Dele tudo o que tá nos deixando mal, toda culpa, que Ele perdoa e esquece. Agora o problema é nossa mente, essa dificilmente esquece fácil e continua jogando sobre a gente a culpa. Mas continua em oração, porque Ele age e limpa nosso coração, nossa mente e tira de nós toda a culpa!!! Nós vivemos na Graça, então sempre "haverá jeito" pra você e pra mim e pra todos nós. Porque tudo o que somos e temos não é por merecimento e sim pela graça e misericórdia de Deus. Então não pense que você é a pior das piores pessoas porque fez isso ou aquilo. Uma boa conversa com Deus, colocar o coração pra Ele, falar tudo o que tá no coração,  já limpa a gente de todos os pecados para que a gente siga bem e em paz, com Ele ao lado. Então, fica em paz, tá? Você é uma princesa e não é isso que te fará melhor ou pior que ninguém!! 

➤ As perguntas que recebi no Instagram:

9. Rafa, você lida bem com seu corpo? — @leticiaquadra
Há cerca de seis anos eu estava exatamente no peso que estou hoje e não me sentia incomodada. Era aquela coisa meio "to um pouco acima do peso", mas nada de mais. Aí depois de um tempo, quando saí de um relacionamento, fiquei muito mal e de alguma forma emagreci 5kg, isso há cerca de quatro anos. Depois disso fiquei super feliz e contente com meu peso, com meu corpo. Fazia exercícios físicos, adorava como minha barriga estava, mas sempre - sempre! - tive uma paranoizinha com meus seios. Sempre achei eles grandes demais, desajeitados, costumo brincar que eles são desastrados! Nunca fui muito feliz com eles. Mesmo por um tempo usando muitos decotes, eu não gostava muito. Sempre achei minhas pernas muito finas também, mas isso não me incomodava tanto quanto os seios.  Ok. Hoje em dia engordei uns 7kg e estou insatisfeita! Nada que me deixe paranoica, querendo fazer maluquices para emagrecer não! Só que me sinto bem incomodada com minhas roupas ficando bastante apertadas. E nesse tempo, uma coisa importante mudou: hoje eu sou amiga dos meus seios! Mas não foi um processo que consegui sozinha. Depois que me casei, com o tanto de elogios do marido e frases dele que eu nunca imaginei ouvir, comecei a me olhar de uma forma diferente e então passei a gostar dessa abundância toda! Hahahaha... Quanto ao resto do corpo, já começamos academia e eu sei que é só secar uns quilinhos que tudo estará bem de novo. :)

10. Você ainda faz poemas? — @leosaal
Legal me perguntar isso, porque há um tempo eu escrevia muito! Postava, principalmente, no meu tumblr. Mas de uns tempos pra cá venho escrevendo pouquinho... Não sei dizer o porquê. Mas escrevo. :)

11. Fala um pouco sobre a relação entre seu cabelo e autoestima. E se o Duca interfere em algo. Eu já penei por ter cabelo assim e queria ouvir um pouco sobre sua experiência — @tatapss
Olha, há uns bons anos eu não "me dava muito bem" com meu cabelo. Ele era ondulado e por isso ele ficava armado. E também acho que nunca achava um cabeleireiro que deixasse ele bom, então eu era muito insatisfeita. Até que teve uma época em que eu fiz uma progressiva só pra que não ficasse mais tão armado e facilitasse minha vida no trabalho (eu gravava vídeos, então o cabelo tinha que estar bem arrumadinho, e estando bem liso era a forma mais prática). Até que a progressiva foi saindo e eu deixei. Ok, depois disso eu usava chapinha todo-santo-dia!!! Era uma prisão, uma escravidão! Eu tomava banho, esperava ele secar e alisava. E na minha cidade faz muito, muito calor, então além de tudo, era um sofrimento. Até que chegou uma hora em que eu tinha que passar muitas vezes a chapinha porque ele tava ficando mais ondulado do que o normal. E a coisa foi ficando tão difícil que decidi parar de fazer chapinha todo dia e deixá-lo natural! Ele foi enrolando, enrolando até que ficou bem onduladinho mesmo, quase cacheado até! Comecei a comprar cremes para ativar as ondinhas e segurar o volume. Depois descobri que o volume era lindão e então, deixava volumoso mesmo. Nessa, eu estava amando muitoo meu cabelo. Os cremes estavam deixando ele bem bonitão e eu estava super feliz e satisfeita. Mas eis que... do nada - sim, do nada - ele começou a perder essas ondinhas e foi ficando mais liso, mais liso. E está como está hoje!
O Duca amava meu cabelo onduladinho. Foi assim que ele me conheceu e ele elogiava, falava bastante do meu cabelo. Isso elevou ainda mais minha autoestima, né! heheh... E ele também acompanhou essa transição natural, mas vive lembrando como era legal quando estava ondulado e eu também concordo. Mas como não tem o que fazer hahaha... eu sigo cuidando muito bem dos meus fios e cortando conforme meu estado de espírito.
Sempre quis ter sidecut, esse raspadinho do lado. Desde a minha adolescência! Mas nuuunca tive coragem. Um dia que comentei isso com o Duca ele super me incentivou a fazer. Fomos no salão e eu estava decidida. Quando sentei na cadeira pra cortar, desisti. Ele insistiu em me incentivar até que fui com tudo. E eu adorei ter feito! Ah, antes de fazer isso, eu tinha o cabelo muito longo, a vida inteira ele foi bem longo, mas num dia de desapego, cortei bem curtinho, pouco acima do ombro, e AMEI. Depois disso segui com ele curto e então fiz o sidecut. A última mudança foi cortar bastaaaaante e deixar a nuca de fora. Eu sei que Duca prefere ele longo, mas tá tanto calor e eu decidi viver o verão sentindo o vento na nuca! Hahahah...
O próximo passo é deixar o sidecut crescer (cansei dele, passou já a fase) e o cabelo crescer também. Até o inverno ele já vai estar maior, heheh...
Não tive problemas em nenhuma dessas mudanças. Nem com os outros nem com meu marido. Duca me incentiva e me apoia em tudo! Eu amo isso nele porque me dá muita segurança e acho que estar segura de si (e saber que isso não vai atrapalhar seu trabalho e tal) é fundamental antes de qualquer mudança no cabelo.
Uffa!! Contei todo o histórico do meu cabelo! Hahaha... e espero ter respondido bem a pergunta!

12. Quais as manias do Duca que irrita vc e quais as suas que irritam ele? — @erika_costaribeiro
Essa é uma pergunta bem difícil pra responder porque já me peguei várias vezes tentando enumerar as manias dele que me irritam e nunca consigo! É mais fácil enumerar as manias dele que eu amo e admiro, hehehe... Mas vou tentar: ele deixa as luzes da casa acesa, por onde passa e não apaga (eu saio de um cômodo e já apago e não consigo ver tudo aceso); quando ele acorda e eu não, ele faz muitos barulhos e barulhos altos (enquanto eu, quando acordo, tento fazer o mínimo de barulho possível para não acordá-lo); ele dispersa muito rápido quando vai fazer alguma coisa; quando ta mexendo em algo, ele muta o mundo ao redor, hahaha...

13. Já pensou na próxima mudança dos cabelos? Qual será? Um abraço — @laris.diniz
Já pensei sim! Hehehe... vou deixar a lateral que está raspada crescer e deixar o cabelo crescer também! 

14. Gostaria que falasse seu pensamento sobre cristianismo e tatuagens...  — @jumrvila
Olha, eu nunca espiritualizei pircings, tatuagens, maquiagens, pinturas no cabelo, etc... Até porque desde que frequento a igreja, meus líderes são tatuados e com pircings. Eu sempre gostei, sempre achei bonito, mas nunca tive coragem de fazer (e não fiz antes também porque meus pais não gostam). Até que casei, meu marido é tatuado e gosta disso. Ele me incentivou e me encorajou a fazer uma tatuagem. E eu fiz uma que tem muito significado pra mim. Então o que eu penso sobre isso (e qualquer outra coisa que a gente vá fazer na vida) é: seja a paz de Cristo o juiz em vossos corações. Se você tem alguma dúvida, lá no fundo acha que é errado, não se sente em paz em fazer, então não faça. Simples. Se vai fazer algo que te confronta, não faça!
Eu fiz porque me senti em paz e não acho que isso seja algo errado. E fiz só depois que casei, porque se eu ainda estivesse na casa dos meus pais, eu continuaria respeitando eles e não teria feito. Também aconselho isso: se você quer fazer, gosta e tal, mas seus pais não aprovam, respeite eles e espere. Um dia, quando você tiver sua casa, sua vida independente, aí pense em fazer. Mas só faça se isso te deixa em paz! :)
(Inclusive o tatuador que fez a minha borboletinha é cristão! hahaha...)

15. Ah, se puder, mata nossa curiosidade sobre o que está escrito na tattoo do braço do Duca. — @jumrvila
No braço direito dele tem uma tatuagem escrito PAZ em 12 línguas diferentes. :)

você também pode gostar:

0 comentários

fala comigo! :)